SEJAM BENVIDOS.

"O SENHOR É MISERICORDIOSO E COMPASSIVO, MAS NÃO COMPLACENTE."

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

EU E A MÃE DE DEUS, FATO VERÍDICO




Gostaria de falar de algo que aconteceu comigo, no dia 11 de fevereiro de 1997, dedicado a Nossa Senhora de Lourdes, mas antes preciso narrar algo que mudou minha vida em Deus, peço um pouco de paciência comigo e leiam o que vou narrar.
Por volta de 1994, conheci uma pessoa muito especial, seu nome era Julio Cesar Esteves, ex-funcionário da Caixa Econômica Federal, que, por  milagre de Deus, após um derrame, onde ficou sem condições de falar e andar, por cinco anos, num seminário de cura, em Niterói, ficou curado plenamente.
Entretanto, com a cura houve uma palavra de profecia, que dizia que ele, o Julio, participaria do sofrimento do Senhor, assim, ficou-se aguardando o cumprimento desta profecia.
Numa viagem, com o Padre Rubens, Mariano no último, que acompanhava as mensagens da Virgem Santíssima, tive a felicidade de conhecer este homem de Deus, Julio Cesar Esteves.
Poderia contar muitas coisas que presenciei no convívio com ele, mas para este assunto que trato hoje, não posso relatar.
Apos a sua cura, a imagem de Nossa Senhora Rosa Mística, da Capela de Nossa Senhora de Fátima, que fica em São Gonçalo-RJ, ao lado da casa do Julio, começou a chorar sangue, isto, mas ou menos nos anos de 1995.
Esta imagem que vos falo chorou sangue dezenove vezes, até chegar ao ponto, que se cumpriu a profecia supra mencionada, ou seja, Julio passou a fazer parte do sofrimento do Senhor, ficando estigmatizado, passou a ter em seu corpo cinco das chagas de Cristo,  duas nas mãos, duas nos pés e uma no peito do lado esquerdo em forma do sinal de + (mais).
Após ter conhecido, sem ainda firmar uma amizade, ouvi, em minha casa, uma voz dentro de mim, mandado-me para ir ao encontro do Julio e, por insistência da voz, fui ao Julio e relatei o que tinha acontecido. 
Ele me disse foi importante sua vinda aqui, pois eu estava precisando me confessar e você trouxe o Padre Soares (à época, Pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Galo Branco -SG-RJ, hoje falecido).
Só que a voz dentro de mim dizia que não era somente isto, este era o dia 14 de agosto, como nada aconteceu, fui levar o padre para casa e ir para casa de minha mãe que morava no Rocha, em São Gonçalo.
No dia seguinte, falei, vou-me despedir do Julio e ir para minha moradia, que era em Barra do Itabapoana-São Francisco do Itabapoana-RJ, assim desloquei-me para casa do Julio, acompanhado de uma amigo de nome David, que hoje reside em Campos dos Goytacazes-RJ, que pode confirmar a minha narrativa.
Ao chegar na residência do Julio, pedi três coisas: "Julio, deixe-me ir ao banheiro rapidinho, abra a capela para eu rezar um terço com Nossa Senhora e depois, me dê um cafezinho para eu ir embora".
Nestes tempos, eu estava passando por uma situação familiar muito difícil e, precisava saber se o que estava fazendo, se a minha busca  estava sendo realizada de forma correta.
Então, fui para a Capela rezar o terço com o meu amigo David e, num determinado momento, senti uma dor forte no peito, no lado do coração e, virei para o David e disse:
"David, estou com uma dor forte no peito e, meu pai (Jaci Rangel) morreu de infarto".
Então, foi quando ouvi uma voz dentro de mim que dizia: "você já viu alguém infartar na pele?".
Assim, notei que a dor era do lado de fora, na pele e não por dentro, mas doía muito.
O David ficou branco e, assim,  fiquei de pé e fui terminar a oração do Santo Terço debaixo da imagem de Nossa Senhora Rosa Mística, que estava numa redoma de vidro e, aos poucos a dor foi passando até o término do terço.
A seguir, fomos nos despedir do Julio para irmos embora, quando encontrei-o deitado num solfar e ele me disse: "Emanoel agora eu sei porque você está aqui! Para que você visse isto!".
Amados, o Julio meteu a mão em sua blusa e, abaixando-a, pude ver uma chaga aberta no peito do Julio, como relatei acima, no mesmo lugar em que meu peito queimava na capela.
Assim perguntei-lhe se poderia orar por ele e, este, me respondeu que oração nunca era demais.
A seguir, apanhei o livro de oração de poder e, comecei a orar por ele, em sua cabeça, pedindo tudo que podia para ele, além de pai - nosso e ave-maria, quando fui sentindo que minha força de oração estava terminando, peguei o livro de oração e, a ermo, abri na página que continha a oração que falava das chagas do Rei David e, com aquela oração fui impulsionado a orar por ele por mais um tempo.
De repente, o Julio começou a chorar baixinho debaixo das minhas mãos e,  a seguir deu-se início uma fala, com autoridade, numa língua desconhecida, ou propriamente, uma fala em línguas, que nos fazia tremer por dentro.
O David estava de joelho e pálido, não soltava a voz e, com muito amor a sala foi "inundada " de um cheiro fortíssimo de rosas e, para finalizar a Mãe de Deus apareceu ao Julio e disse: " Meu querido filho Emanoel, não se preocupe, você está no caminho...". Falou outras coisas, mas não me recordo.
Lembram que falei para vocês acima das dificuldades que estava passando e, a Mãe de Deus trouxe a resposta que precisa, pois estava saindo de uma situação que não gostaria que ninguém experimentasse, que foi o meu divórcio. 
O Divórcio corrói, mata aos poucos e, tive que escolher e nesta escolha optei por abraçar a causa de Cristo, sendo ensinado por Minha Mãe, Maria Santíssima, que me acompanhou bem de perto até a Sua festa, no dia 11 de fevereiro de 1997, dia de Nossa Senhora de Lourdes.

As lembranças daquele dia 15 de agosto, dia dedicado a  Nossa Senhora da Glória, dentre outros, foi de ver o Julio tentando buscar a Mãe que estava no ar, aonde somente ele podia ver e pedia assim: "Mãe não vai embora fica comigo".
O Julio não sabia de nada de minha vida, assim, naquele dia após o fato acontecido, relatei a ele o que Nossa Senhora queria dizer com a mensagem e, ele me informou que Nossa Senhora o visitava nos dias dedicados a Ela, durante o ano e, em três outras datas, que são: Sexta - Feira Santa, no dia 23 de julho, dia de Santa Brígida,



considerada pelo Cristo como a maior adoradora de Suas Santas Chagas e, no dia 14 de setembro, dia da Exaltação da Santa Cruz.
Assim convivi com o Julio até o termino das suas chagas e de sua vida.
Amanhã publicarei sobre o que a Mãe de Deus, Nossa Senhora de Lourdes e sua importância na mensagem deixada por Ela ao Julio.

Um comentário:

Luciana Diegues Guimarães disse...

Emanoel, acho que você não me conhece, mas, concordo com tudo que você relatou e sei que é a pura verdade, pois, eu, minha esposa Verônica e nossas filhas, Raquel e Luciana, convivemos muito tempo com nosso querido e saudoso irmão Julio Cesar e sua esposa Sueli. Estivemos presentes no encontro de cura e libertação, em Niterói, onde ele foi extraordinariamente curado por Jesus, na presença de várias pessoas que choraram copiosamente no quarto onde ele recebeu esta grande graça. No dia seguinte, pela manhã na Capela, deu seu testemunho com muita emoção para todos.
Convivemos com ele até 1994, quando mudamos para a cidade de Boa Esperança, no sul de Minas Gerais. Mantivemos contato durante muito tempo, até que um dia Sueli nos telefonar e nos deu a notícia dolorosa de sua ida para o Céu.
Foram muitas as graças alcançadas por aqueles que receberam sua oração, onde também me incluo.
Tenho comigo uma fita K-7 gravada, em minha casa, em Cabo Frio, com testemunho da sua cura
e algumas cartas e fotos que ele nos enviava, principalmente com os estigmas.
Não tenho nenhuma dúvida em afirmar que era um verdadeiro santo, grande servo do Senhor. Pena que ninguém se interessou em investigar, sendo que, em seu sofrimento, recebeu a visita de um padra francês. Só isto. Mas Deus conhece os filhos que tem.
Grande abraço,
Francisco.